10/11/2017 13h55

Nossa Bolsa separa 20% das vagas para o Ocupação Social

Moradores de bairros atendidos pelo Programa Ocupação Social terão mais chances para ingressar em cursos de nível superior: pelo menos 20% das bolsas de estudo oferecidas pelo Programa Nossa Bolsa são, agora, preferencialmente ofertadas para jovens moradores desses bairros.

“É mais uma garantia de qualificação, de investimento e de acreditar que os jovens moradores dos bairros do Ocupação Social, regiões conhecidas infelizmente por terem maior concentração de homicídios, merecem ter as mesmas oportunidades que os demais. É a chance que muitas vezes falta para quem vive nessas comunidades. É a garantia do direito ao estudo, à se qualificação, a buscar melhorias na vida”, comentou o secretário de Estado de Direitos Humanos, Julio Pompeu.

O recorte de 20% das vagas foi definido com a mudança na lei de criação do Nossa Bolsa, sancionada pelo governador Paulo Hartung e publicada em Diário Oficial, nesta quarta-feira (8).

As mudanças ainda incluem o acréscimo de bolsas para iniciação científica, com duração de 12 meses, e para mestrado, por um período de 24 meses. Com essa inclusão, agora serão três modalidades disponibilizadas aos alunos, contando com as já existentes bolsas de graduação, integrais (100%) e parciais (50%).

Seleção

Para conseguir uma das bolsas de graduação, o candidato precisa ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A seleção será por meio da nota alcançada no exame. Já para as demais bolsas, de mestrado e iniciação científica, o processo será por meio de editais.

Nesses casos, as inscrições serão feitas através do site do Nossa Bolsa, o www.nossabolsa.es.gov.br, após o lançamento desses editais, que serão disponibilizados ainda este ano, na primeira quinzena de dezembro. As datas oficiais serão divulgadas em breve.

Ocupação Social

O Programa Ocupação Social, coordenado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), tem como principal objetivo reduzir os índices de homicídio entre os jovens, que historicamente representam 40% das vítimas de crimes contra a vida, no Espírito Santo.

São 26 bairros atendidos, entre Grande Vitória e interior, identificados como áreas de alta vulnerabilidade. Para mudar essa realidade, o Ocupação Social busca levar novas oportunidades ao público jovem, a exemplo de cursos profissionalizantes, de ações de promoção e formação em empreendedorismo, junto com projetos de geração de renda, acompanhados de atividades culturais e esportivas.

Texto: Caio Fassarella / Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos – SEDH

Assessoria de Comunicação da Secti

Samantha Nepomuceno

(27) 3636-1822 / 3636-1819

samantha.goncalves@secti.es.gov.br/ comunicacao@secti.es.gov.br

Assessoria de Comunicação da Fapes

Fernanda Magalhães/Palloma Spala

comunicacao@fapes.es.gov.br

(27) 3636-1867 / 99812-3072

Assessoria de Comunicação da Sedh

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos – SEDH
Suellen Barone / Maurílio Mendonça
Tel.: (27) 3636-1334 / 1344 / 98868-2118
E-mail: suellen.barone@sedh.es.gov.br / maurilio.mendonca@sedh.es.gov.br
2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard