13/04/2020 11h53 - Atualizado em 14/04/2020 18h13

Barreira sanitária: câmera termográfica é usada em passageiros do aeroporto para detectar febre

Um dos principais sintomas da Covid-19 é a febre, seguida por tosse seca, falta de ar e complicações no pulmão à medida que a doença se agrava. Portanto, uma das formas de medir o avanço da doença é justamente monitorar os casos de febre.

Por conta disso, na segunda-feira (06), os profissionais que atuam na Barreira Sanitária implementada no Aeroporto de Vitória começaram a utilizar um medidor de temperatura - um sensor que detecta a temperatura e envia sinal ao controlador de temperatura. A ação é realizada na área de desembarque do terminal de passageiros.

A Barreira Sanitária é um mecanismo utilizado pelas autoridades governamentais que tem como objetivo prevenir riscos de contaminação e disseminação de doenças. No Aeroporto de Vitória, a medida foi organizada de acordo com as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para controle e prevenção da transmissão do novo Coronavírus no Espírito Santo.

O equipamento utilizado no local desde então foi emprestado pela empresa Pred Engenharia, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), e cedido à Secretaria da Saúde (Sesa).

De acordo com o subsecretário de Atenção em Saúde, Fabiano Ribeiro, a utilização deste equipamento, além da segurança tecnológica na fiscalização, também facilita o trabalho das equipes durante as ações, explicando que a pessoa passa pelo local, se direciona na câmera que mede a temperatura automaticamente e dá um sinal de alerta caso o passageiro esteja com uma temperatura mais elevada e precise ser levado para atendimento médico em uma área restrita do aeroporto. Ele destacou ainda que o equipamento é o único utilizado em barreiras sanitárias no Brasil.

“Este equipamento facilita o trabalho, pois com o grande número de pessoas que desembarcam nos voos, não há necessidade de um contato tão próximo como quando utiliza-se termômetros comuns. Não tenho relato de outra câmera desta sendo utilizada em outras barreiras no Brasil, então isso traz o grau de comprometimento do Governo do Estado e também a incorporação tecnológica que tem sido uma marca do governo Casagrande”, explicou.

Fabiano Ribeiro disse ainda que a barreira sanitária do Aeroporto de Vitória é uma das principais formas de prevenção e controle do novo Coronavírus no Espírito Santo. “Ela foi estrategicamente instalada no local pois por mais que se tenha um número reduzido de voos acontecendo no momento, ainda há pessoas chegando de São Paulo e Rio de Janeiro, que são os principais aeroportos internacionais do País e ainda locais com grande concentração de pessoas contaminadas no Brasil”, explicou.

A secretária de Estado da Ciência e Tecnologia, Cristina Engel, destacou de que forma a Secti atuou para conseguir o empréstimo do equipamento, explicando que a secretaria identificou as câmeras como um importante instrumento auxiliar de identificação prévia de possíveis suspeitos de contaminação.

“A partir do estudo de viabilidade teórica de uso do equipamento, foi iniciado um processo de verificação de disponibilidade e custo desses equipamentos, em paralelo à troca de informações com a Sesa e, em especial, da Vigilância Sanitária. Pelos equipamentos terem alto custo e exigirem pessoal treinado para o uso, a decisão de compra/aluguel deveria ser ponderada. Para a avaliação de adequabilidade do equipamento, a Secti contou, também, com o auxílio de pesquisadores vinculados à Ufes e ao FindesLab. Posteriormente, a Secti também intermediou a negociação com a empresa Pred Engenharia no estabelecimento do acordo de empréstimo do equipamento para a avaliação efetiva com teste em campo no Aeroporto de Vitória. E os resultados estão sendo bastante animadores”, afirmou.

 

Barreira Sanitária

Desde o dia 27 de março até esta segunda-feira (13),  3.812 pessoas foram abordadas na Barreira Sanitária do Aeroporto de Vitória. Trinta e duas dessas pessoas passaram pela consulta médica no ambulatório da Sesa, montado no local, e destas, 13 foram encaminhadas, de ambulância, para um serviço de pronto-atendimento na região. As demais receberam orientação para isolamento domiciliar e, caso apresentassem algum sintoma, que procurassem atendimento médico. Os trabalhos são realizados todos os dias das 6h às 23h.

A equipe que atua na Barreira Sanitária no Aeroporto de Vitória é formada por um médico, um enfermeiro e três técnicos de enfermagem, e também conta com o apoio do Corpo de Bombeiros.

O grupo faz abordagens de acolhimento e orientação sobre as medidas preventivas contra o novo Coronavírus para passageiros de outros estados brasileiros que chegam ao Espírito Santo.

 

Informações à imprensa

Assessoria de Comunicação da Sesa

Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes

asscom@saude.es.gov.br

Assessoria de Comunicação da Secti

Samantha Nepomuceno

(27) 3636-1822 / (27) 3636-1819

samantha.goncalves@secti.es.gov.br 

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard